Portistas de Macedo

O Lugar dos Grandes!

02 novembro 2004

ÚLTIMO…

Talvez seja esta a ultima vez que escrevo neste Blog. Não sei, tenho de ponderar a situação quando estiver mais calmo, porque depois de um jogo como aquele que acabei de ver, só me dá vontade de desaparecer.
Sinceramente, e agora falando mesmo no jogo, estou completamente desiludido, e se já o estava antes, ainda mais estou agora.
Como é possível uma equipa como esta jogar tão mal! Como é possível?
É possível porque temos um treinador BURRO!
Ninguém no seu perfeito juízo faz uma substituição como o palhaço do Fernandez fez. Se ele quer jogar com o Hugo Almeida para ganhar lances na área adversária, tem forçosamente que ter outro avançado que o apoie. E claro, a o tirar McCarthy não vai lá. Redimiu-se com o Postiga, mas muito, muito tarde! É inacreditável alguém que se diz treinador de futebol fazer uma coisa destas.
CARLOS CARVALHAL A TREINADOR DO PORTO, JÁ!



Sou adepto do Mourinho desde que começou como treinador principal, mas mais adepto fiquei depois daquilo que fez por nós, portistas. Nunca, em nenhum jogo que fosse Mourinho errou numa substituição, nunca. Nunca Mourinho errou em nada. Espero que volte um dia, pois só assim é que vamos lá outra vez, pelos vistos!

Assim me despeço (talvez), foi quase um ano no activo, e foi uma experiência bem agradável, falar sobre o Porto, Selecção, enfim do futebol em geral. É possível que regresse um dia à blogosfera, mas sempre apoiando o meu clube do coração, o FUTEBOL CLUBE DO PORTO.

FORÇA PORTO, FORÇA MOURINHO

VIVA MACEDO DE CAVALEIROS


Obrigado caros leitores, até sempre…


César Sequeira

28 outubro 2004

FRAQUINHO…

Já era de esperar que Vítor Fernandez fizesse descansar alguns jogadores, e sabíamos também que aqueles jogadores que alinhariam hoje, eram os mesmos que andavam à muito tempo a reclamar a titularidade. Então porque é que não mostraram que deviam ser titulares?!

Um Porto económico que em toda a primeira parte fez uma exibição bem a baixo do económico. Sem Baía, Jorge Costa, Maniche, Carlos Alberto, Derlei e McCarthy, lá se foi aguentando na primeira parte. Mas seria na segunda que o pior estava para vir. Numa perda de bola infantil por parte de Costinha a meio campo, o Guimarães por intermédio de Nuno Assis iria marcar o primeiro, ficando Ricardo Costa a ver jogar.
No segundo golo Ricardo Costa volta a borrar a pintura e Nuno Assis marca novamente.
Ainda assim e perante tal apatia dos jogadores portistas, Derlei marcaria o tento de honra, já sem Costinha em campo, que saiu lesionado (*), ficando o Porto reduzido a 10 unidades.

_________

(*) Flávio Meireles tem uma entrada inacreditável sobre o Costinha e nem sequer viu qualquer cartão. Saliento que existem para além do árbitro, 2 fiscais de linha mais um 4º árbitro, e mesmo assim ninguém viu. Mas todos viram o Jorge Costa atirar uma garrafa para a bancada. É o sistema!
É difícil saber se uma bola entra ou não na baliza mesmo vendo através da televisão, mas creio que não é difícil ver um jogador “matar” – e é mesmo esta a expressão porque o Costinha saiu inconsciente do relvado – outro!
Costinha saiu do relvado com um colete em volta do pescoço e completamente inanimado, veremos o que vai acontecer nos próximos dias, e desejo as rápidas melhoras ao nosso jogador, bem como a punição, e esta punição tem de ser severa, ao jogador do Guimarães.


NOTAS DO PORTISTAS DE MACEDO:
(as notas são escaladas de 0 a 10)

Nuno – 2
Ainda bem que este só joga para a Taça, senão estávamos tramados.

Seitaridis – 5
Não esteve ao seu nível, mas olhando para os seus colegas da defesa não esteve assim tão mal.

Areias – 4
Não ocupa bem o seu espaço e depois dá no que dá. No primeiro golo não tem qualquer culpa, já que estava a ser assistido fora das quatro linhas.

Pepe – 2
Não percebo! Ainda não conseguiu fazer uma razoável exibição.
Nem tenho palavras!

Ricardo Costa – 2
Duas falhas, dois golos. É caso para dizer: “Mas que azar!”.

Costinha – 4
Não esteve muito bem, e o primeiro golo nasce de uma perda de bola sua.

Bosingwa – 3
Procurou a expulsão. Bem substituído ao intervalo, mas pelo jogador errado.

Diego – 4
Tentou na primeira parte pegar no jogo mas nunca o conseguiu. Exagerou nas jogadas individuais perdendo-as todas.

Quaresma – 6
O melhor do Porto esta noite. Pelo menos ele tentou…

Maciel – 1
-

Postiga – 3
Reclama a titularidade, mas o que é certo é que quando tem oportunidade não a aproveita.

Hugo Leal – 0
Que é um jogador de merda já toda a gente sabe, ou melhor, quase toda a gente, porque o Sr. Fernandez ainda não descobriu. Haja alguém que lhe diga…

Derlei – 5
Marcou o golo e mais nada. Espero que o golo lhe dê ânimo para o resto da época.

McCarthy – 3
Não teve oportunidade.


César Sequeira

20 outubro 2004

Péssimo

Tenho três coisas a dizer sobre este jogo:

1º Seitaridis mostrou uma vez mais o excelente jogador que é;
2º Fernandez não é treinador para o Porto, há já muito tempo que deveria ter ido embora;
3º Carlos Carvalhal é o treinador a contratar.

César Sequeira

MAS AFINAL A BOLA ENTROU OU NÃO ENTROU?!








17 outubro 2004

QUENTE

Como se esperava foi mais um jogo cheio de casos, tanto dentro como fora das quatro linhas. A polémica em torno dos bilhetes durou toda a semana, mas o que se passou dentro de campo vai durar bem mais que uma semana, isto porque o Benfica perdeu, caso contrário, acabaria logo depois do apito do árbitro.

Uma entrada destemida do Porto, perante o “inferno” dos macacóides da Luz, e desde logo a nossa equipa demonstrou que estava ali para vencer.
Aos 9 minutos McCarthy marcou o golo que deu a vitória ao Campeão Nacional, e que golo esse. Foi uma primeira parte dominada por inteiro pelos azuis e brancos, que só não dilataram mais a vantagem por infelicidade.
Mas na segunda parte os papéis inverteram-se, e foi o Benfica a tomar conta do jogo, criando mesmo oportunidades de golo.

Há que saber ganhar ou perder, mas também há que saber reconhecer quando o árbitro erra a nosso favor, e foi isso mesmo que aconteceu. O Benfica pode queixar-se de duas grandes penalidades que não foram assinaladas, cometidas por Seitaridis e Pepe, respectivamente. Outro lance que deixou muitas dúvidas, foi o remate de Petit em que Vítor Baia deixa fugir a bola para dentro da baliza, quanto a mim a equipa de arbitragem ajuizou mal o lance.

Nuno Gomes agrediu Pepe a pontapé, e ambos os jogadores viriam a ser expulsos. Agora vamos ver qual o castigo aplicado a Nuno Gomes. Não me espantaria muito se o Nuno Gomes apanhasse 1 ou 2 jogos de suspensão, tal a miséria em que o futebol português está!


NOTAS DO PORTISTAS DE MACEDO:
(as notas são escaladas de 0 a 10)

Vítor Baia – 7
Teve apenas um falhanço no remate de Petit em que deveria ter socado a bola. Transmitiu bastante segurança à defesa.

Seitaridis – 7
Intransponível. Alguém viu o Simão?

Ricardo Costa – 8
Teve muito trabalho. Demonstrou sempre um bom posicionamento e principalmente na primeira parte ajudou muito no ataque.

Pepe – 6
Infantil.

Jorge Costa – 7
Já disse várias vezes que lhe falta velocidade, e hoje volto a dizer. Fora isso, cortou inúmeros lances. A experiência ajudou e muito.

Costinha – 7
Não se dá muito pela presença dele em campo, mas é de uma grande utilidade a dobrar os companheiros e a cortar os lances de ataque adeversários.

Maniche – 7
Correu que se fartou, e teve uma primeira parte de bom nível.

Diego – 8
É um grande jogador. Brinca com a bola sempre que lhe apetece, mas quando chega a hora de jogar, ele lá está. Foi o grande motor portista.

Carlos Alberto – 7
Hoje descaiu sobre a direita e foi muito difícil trava-lo. Esteve em algumas boas jogadas de combinação com McCarthy e Diego.

Derlei – 6
Não tem força, não tem capacidade de explosão, não tem nada. Foi presa fácil para o Miguel.

McCarthy – 8
È o homem do jogo pelo golaço que marcou, mas também pelo trabalho que deu aos defesas benfiquistas.


Areias – 5
Entrou em campo porque Pepe foi expulso e deixou a sua zona de acção ao completo abandono. É um jogador muito medíocre.

Bosingwa – 5
Não trouxe nada de novo.

Quaresma – 4
Nota 4 pelo passe que não fez, quando McCarthy estava sozinho em frente a Moreira.


César Sequeira

14 outubro 2004

I N E S Q U E C I V E L

Hoje assistimos ao melhor jogo de sempre da nossa selecção. Uma noite memorável que culminou numa fantástica vitória por 7-1 frente a uma Rússia, que durante todo o jogo andou à procura de identidade. Deco e Ronaldo, que hoje partiram a loiça e ainda esmigalharam os cacos, são sem quaisquer sombra de dúvidas dos melhores a nível mundial.

Começam a faltar adjectivos para qualificar esta exibição. Deco e Ronaldo são uns senhores, e hoje mais uma vez, mostraram ao mundo o seu valor, jogadas de outro planeta, assistências e golos, não se pode pedir mais a estes fenómenos do futebol.
Com tamanha exibição não há muito mais a dizer, e só para concluir, lembro-me de jogos fantásticos como o Portugal - Inglaterra (EURO 2000), ou Portugal – Brasil (se não me engano foi em 2002, ou 2003 nas Antas), mas como este nunca vi, e vai certamente ficar na minha memória, bem como na do resto dos portugueses, já para não falar dos russos.

PARABÉNS PORTUGAL


NOTAS DO PORTISTAS DE MACEDO:
(as notas são escaladas de 0 a 10)

Ricardo – 6
Nota puxada, e bem puxada. Numa noite perfeita, tinha de ser este merdas a estragá-la. Um monumental frango!

Miguel – 8
Muito certinho. Muito seguro a defender.

Paulo Ferreira – 7
Está em baixo de forma, e para piorar jogou na esquerda. Na primeira parte falhou bastantes passes, sentiu-se intranquilo. De salientar a assistência para o golo de Deco.

Ricardo Carvalho – 8
Para o melhor defesa da Europa já era de esperar. Fez cortes impossíveis. Que saudades de o ver no Porto!

Jorge Andrade – 8
Seguro, bom no jogo aéreo, complementa-se na perfeição com Ricardo Carvalho. E basta.

Costinha – 8
Sr. Ministro. Um tampão à frente dos defesas. Muito bem a dobrar aos laterais.

Maniche – 9É a ponte entre a defesa e o ataque, sempre muito bem no passe, ora para Deco, ora para o Ronaldo e Simão. Teve dois bons remates, mas foram um pouco acima.

Deco – 10
O Mágico! Joga e faz jogar. É sem dúvida o Melhor Jogador do Mundo. Se Zidane ganhou, Deco, também vai ter de ganhar.


C. Ronaldo – 10
Este miúdo faz maravilhas. É imparável. A nota diz tudo.


Simão – 9
Fez o melhor jogo de sempre pela selecção.

Pauleta – 7
Já diz o ditado, que “Burro velho não aprende línguas”, e este encaixa na perfeição ao cabeça de queijo. Falta-lhe mobilidade, se não tem já não vai a tempo de a ter.

Nuno Gomes – 6
Entrou, mas não acrescentou nada de novo.

Petit – 8
15/20 Minutos em campo foi mais que suficiente para aplicar o pontapé canhão. Dois belos golos.

Boa Morte – 5
-


César Sequeira

12 outubro 2004

Caros Portistas de Macedo

Ao longo dos ultimos dois meses tenho acompanhado os jovens jogadores
do FC Porto, no blog http://esperancaportista.blogspot.com, que venho
dar a conhecer.

Um artigo recente foi: Estrela em ascensão: Daniel Candeias

Com apenas 16 anos, o camisola 9 da selecção nacional sub-17, Daniel
Candeias, começa a sair do anonimato, fruto da impressionante
regularidade com que marca golos. Este jovem iniciou a carreira na
A.D. Fornos de Algodres, colectividade que era na altura presidida
pelo seu pai. Destacou-se o suficiente para jogar pela selecção da
Guarda, em 01/02. A sua performance no torneio inter-associações
chamou a atenção dos olheiros portistas, que o recrutaram. Regressou
ao mesmo torneio pela selecção do Porto, na época seguinte, marcando
na final os dois golos que derrotaram a congénere Lisboeta. Em 03/04,
na sua primeira época como Junior-C, jogou na equipa satélite do FC
Porto, o Padroense. Os muitos golos que marcou contribuiram para a boa
performance da sua equipa e valeram-lhe a chamada à selecção sub-16,
em Outubro de 2003. A estreia apareceria na dupla jornada contra a
França, em Dezembro do mesmo ano. Ao segundo jogo marcaria o seu
primeiro golo. No forte torneio internacional de Idanha-a-nova marcou
um golo em cada um dos três jogos, começando a cimentar o seu lugar.
Inicia a presente época já na formação principal portista e é
naturalmente chamado à selecção na preparação para o europeu de
sub-17. Nos seis jogos já disputados marca um total de nove golos,
roubando os holofotes è estrela da equipa, o jovem Sportinguista Fábio
Paim, bem conhecido dos jogadores de "Championship Manager".

Artigo no blog, com foto!
http://esperancaportista.blogspot.com/2004/09/estrela-em-ascenso-daniel-candeias.html

Outros artigos no blog:
Joel custou 1,7 milhões de euros?
http://esperancaportista.blogspot.com/2004/09/joel-custou-17-milhes-de-euros.html

Perfil de Bruno Gama
http://esperancaportista.blogspot.com/2004/09/esperana-na-equipa-b-bruno-gama.html

Perfil de Akos Buzsaky
http://esperancaportista.blogspot.com/2004/08/esperana-na-encruzilhada-akos-buzsaky.html

Esperando que me perdoem a intrusão me despeço.
Saudações portistas,

Morphy

11 outubro 2004

CRÓNICAS DO EDITOR:

Vergonhoso. É o mínimo que se pode dizer de um jogo que se esperava facílimo. Mais, foi um escândalo nacional, e esperamos que não se volte a repetir tal miséria, agora contra a Rússia. È verdade que a Rússia é um adversário bem mais difícil, mas está claramente ao alcance dos tugas.

Frangos, frangos e mais frangos…

Tivemos oportunidade de presenciar, este Sábado, a mais um grande momento de culinária, um frango do “grande” Ricardo! Com tantos frangos, este fraco guarda-redes vai certamente abrir uma cadeia de restaurantes. Já estou a ver o nome do restaurante: “Os Frangos do Ricardo”.

Scolari, RUA!!!!!!!!

Já há muito tempo que se pede a este treinador fraquíssimo que se demita. Portugal ainda não conseguiu fazer um jogo decente, graças a este brasileiro incompetente.
È uma vergonha… foi preciso vir um estrangeiro para passarmos tal vergonha aos olhos do mundo.

César Sequeira

03 outubro 2004

MÁGICO II

Foi graças a um Diego inspirado que o Porto venceu o Belenenses. O Brasileiro esteve nos três lances vitoriosos. Deco, Diego, o nome até é parecido!

Até que enfim o Porto vence em casa! Num jogo em que não se adivinhava tarefa fácil para o dragão, o Belenenses viu-se reduzido a dez pouco passava dos vinte minutos. Até aí o Porto não conseguira fazer uma jogada digna desse nome. Mas Diego, quem havia de ser, o novo mágico portista, faz uma abertura fantástica para Quaresma, este cruza e Maniche com o pé esquerdo faz o primeiro no Dragão.
Já na segunda parte e com McCarthy em campo, o Porto iria ver a sua vantagem ampliada, novamente Diego, desta vez desmarcou McCarthy e o Sul-africano remata colocado, não dando a mínima hipótese para o experiente Marco Aurélio.
Mas o momento do jogo ainda estava por acontecer, Diego, outra vez o prodígio, num passe “à Deco” desmarca McCarthy, que fuzila autenticamente o guarda-redes contrário. Estava feito o resultado final, 3-0 para o F.C.Porto.

NOTAS DO PORTISTAS DE MACEDO:
(As notas são escaladas de 0 a 10)

Vítor Baia – 6
Sem grande trabalho durante boa parte do jogo, esteve bem em tudo o que se lhe pedia, excepção feita a um lance na primeira parte, em que deixa fugir a bola, felizmente foi aliviada por um defesa.

Seitaridis – 8
Intransponível. Dono e senhor do seu espaço, nunca foi ultrapassado, e ainda tem tempo para uma ajudinha ao ataque. Excelente.

Pepe – 7
Uma nota bem puxada. Tem que aprender muito, principalmente no um para um. Não pode entrar “à queima”, se não arrisca-se a ser batido ou então, como foi o caso, a ver um cartão amarelo. Falta-lhe muita, mas mesmo muita inteligência.

Pedro Emanuel – 7
Não precisou de mostrar mais. Jorge Costa não pode voltar a sentar Pedro Emanuel no banco. Fernandez tem que o por a titular de uma vez por todas.

Ricardo Costa – 7
Uma raça enorme. Mais uma vez na esquerda, e mais uma vez uma boa exibição. Pedro Emanuel e Ricardo Costa, quanto a mim os dois centrais titulares quando Nuno Valente recuperar. Mas será que Fernandez consegue perceber isso?

Costinha – 8
É uma autêntica muralha à frente dos centrais. Muitas vezes apoiado por Maniche, cumpriu na perfeição o seu papel, como tem vindo a ser hábito. Um dos melhores do Porto.

Maniche – 8
Marcou o golo, e ainda pôs a jogar Quaresma e Derlei. Muito em jogo.

Diego – 9
Tirou três coelhos da cartola, fez inúmeras jogadas de ataque e serviu sempre os companheiros na perfeição. Que mais se pode pedir de um jogador com apenas 19 anos? Genial.


Quaresma – 6
Tentou, tentou, mas não conseguiu fazer uma jogada de perigo. Fez a assistência como lhe competia para o golo de Maniche, e mais não se viu. Sempre muito bem anulado.

Derlei – 6
Está a voltar aos poucos o Derlei que todos conhecemos. Esteve algo trapalhão, batalhador o suficiente, mas falta-lhe ritmo.

Luís Fabiano – 6
Esteve perto de marcar num cruzamento de Maniche, mas Marco Aurélio, negou-lhe o golo mesmo em cima da linha com uma defesa por instinto. Mostrou bons atributos, mas a sorte não o tem ajudado.

McCarthy – 8
Vinte minutos em campo foram suficientes para marcar dois golos e fazer mais dois remates. Para quem anda contrariado, não está nada mal.

Carlos Alberto – 5
Entrou bastante tarde, daí não ter mostrado rigorosamente nada.

Hugo Leal – 0
Entrou e estragou tudo. Mas será que não há merdinha melhor para por em campo?!

TREINADORES:(Notas escaladas de 1-5)

Vítor Fernandez – 3
Existem pormenores que tem de trabalhar. Tem de ser mais duro com os jogadores.

Carlos Carvalhal – 3
Não podia fazer mais só com 10. Enquanto teve 11 conseguiu tapar todos os espaços. Apresentou um esquema muito bem montado.

César Sequeira

29 setembro 2004

PARABÉNS JOSÉ MOURINHO



O Porto perde como já era de esperar, não porque jogou contra a melhor equipa do mundo, mas porque tem jogadores como Pepe e Jorge Costa que se fartam de meter água em todos os jogos, e continuam como titulares indiscutíveis. É verdade que um deles teria sempre que jogar devido à falta de defesas, mas quando olhamos para o banco e vemos Pedro Emanuel, vê-se que Fernandez não sabe, nem nunca saberá o que é futebol.

Um inicio de jogo algo perdido, onde a equipa sofreu um golo, logo no primeiro remate, destaque para Pepe e Jorge Costa, que como já é hábito não sabem o que andam a fazer dentro de campo. O FC Porto foi melhorando à medida que o jogo se aproximava do intervalo, mas quando o Chelsea entrava nos últimos 30 metros as coisas complicavam-se.
Na segunda parte como era de esperar, Pepe e Jorge Costa aos papéis, e era golo do Chelsea. Nada que não fosse previsível.
Carlos Alberto, um recém entrado, remata forte, a bola raspa na cabeça de Terry, Cech defende a soco e McCarthy reduz.
Noutro lance de bola parada, Pepe e Jorge Costa falham, para não variar, e mais uma vez golo do Chelsea.

Falou-se muito durante a semana como José Mourinho iria festejar os golos, e ele nem disse que festejaria, nem que não. Mas hoje festejou três vezes, e bastante. Mourinho festejou assim porque, como já é hábito, gosta de “picar” a imprensa, e fez muito bem.

NOTAS DOS PORTISTAS DE MACEDO:

(5) - Vítor Baía: Não teve culpa nos golos. Teve uma noite sem grande trabalho, já que remates à baliza perigosos, só mesmo aqueles que entraram.

(6) – Bosingwa: sempre que Duff tinha a bola tremia. Não esteve mal a atacar, mas Quaresma não ajudou.

-

-

(5) – Ricardo Costa: Não é a sua posição, e tendo em conta esse factor não esteve assim tão mal. Apareceu algumas vezes no ataque, mas esse como se sabe não é o seu forte.

(6) – Costinha: Teve uma noite bastante difícil, tendo que dobrar os centrais algumas vezes, visto que estes meteram agua durante 90 minutos. Não foi o Costinha que todos nós conhecemos.

(5) – Maniche: Muito apagado, e por isso o Porto não teve um motor que ajudasse a equipa a subir e ganhar a bola no meio campo. Sem Maniche o Porto perde claramente o meio campo, ficando assim sem poder para lançar o ataque.

(6) – Diego: Lutou muito, mas nota-se perfeitamente que ainda não é um jogador com capacidade táctica como era Deco. Precisa de aparecer mais em zonas defensivas tentando assim pegar no jogo.

(5) – Quaresma: Não esteve em campo salvo os últimos 5 minutos da primeira parte. Necessita de alguém que lhe puxe as orelhas, como fez Mourinho com Carlos Alberto.

(6) – Derlei: Sem força, foi assim que jogou. Precisa de jogos nas pernas, ganhando assim mais ritmo que o faça aparecer mais em jogo podendo mesmo ajudar em lances defensivos.

(6) – Fabiano: Muito bem marcado por Ricardo Carvalho. Nada a dizer quando se tem na marcação um jogador da classe do Ricardo.

(6) – Carlos Alberto: Fez o remate que originou o golo de McCarthy. Não fez mais nada de salientar.

(6) – McCarthy: Fez o golo e assustou Cech num remate à meia volta, tirando do caminho o defesa poderosíssimo John Terry.

(5) – Postiga: Nada a salientar.

Nota aos treinadores:
(Notas de 0 a 5)

Vítor Fernandez: 2
- Não fez o trabalho de casa. Pepe e Jorge Costa são dois casos a rever à já muito tempo.

José Mourinho: 5
- Mais uma vez mostrou que é o melhor treinador do mundo. Foi criticado por ter colocado Smertin no lugar de Tiago, mas no fim do jogo ninguém falou disso.
Simplesmente o melhor.


César Sequeira

27 setembro 2004

CUSTOU, MAS FOI...

É a primeira vez que vejo jogar esta equipa. Muito por força de Diego, que mostrou porque é que Pelé o considerou superior a ele.
A defesa continua a ser uma das maiores lacunas, e Fernandez não pode continuar a apostar em Pepe, porque Pedro Emanuel está em muito melhor forma.
Vem ai o Chelsea, e agora é que vai doer...

César Sequeira

23 setembro 2004

MAS QUE MERDA É ESTA?

10 min para o fim da partida, o Porto empata com o Leiria a uma bola. Vitor Fernandez troca Maciel por Derlei, e deixa Postiga e McCarthy no banco.
Volta Mourinho, por favor...

César Sequeira

22 setembro 2004

FUTEBOL FANTÁSTICO



Para quem quiser aderir à Super Liga aqui fica o código:

Código de acesso à liga: 143695-23618


César Sequeira

19 setembro 2004

FC Porto 2 – Estoril Praia 2

Foi um Dragão sem chama aquele que esta noite jogou contra o Estoril. Numa partida onde Hugo Leal, jogou… NÃO JOGOU uma vez mais, Pepe continua muito trapalhão, e Postiga em muito má forma. Vítor Fernandez tem de mudar, e essa mudança tem de ser já no próximo jogo, senão arrisca-se a ver o barco passar.

Entraram algo apáticos, os jogadores do Porto, dominando é certo, mas sem objectividade, nem clareza. Hugo Leal, é um jogador a menos, viu-se hoje mais uma vez, quando ele joga a equipa perde o meio campo. Sempre que era preciso jogar para a frente, ele jogava para trás, quando era preciso rapidez, parava para… também não sei, e claro, perdia a bola.

Na sequência de uma perda de bola por parte de Seitaridis, o Estoril marca o primeiro. Mas Seitaridis viria a redimir-se, tendo ganho inúmeras faltas perto da grande área adversária e puxando sempre que necessário a equipa para a frente, ora em jogadas individuais, ora com passes em profundidade.
De salientar ainda a exibição de Luís Fabiano, lutando muito e inclusive tendo marcado o primeiro golo dos dragões.
Fiquei com a ideia que este brasileiro, tendo atrás de si um meio campo que funcione, é letal.

Tive oportunidade de ouvir, uma vez mais o relato na RR, já que os comentadores TVI não são lá grande coisa, e o Sr. Bernardino Barros, como é o seu estilo criticou Vítor Fernandez, e com razão. Quando o Paulo Sousa, jogador do Estoril, se lesiona, ainda não tinha sido efectuada a substituição no Porto, então como era previsto por todos, Vítor Fernandez tinha que meter mais um avançado, neste caso McCarthy, e tirar um elemento da defesa. Eis que surge a surpresa, Postiga sai. O Estoril com 10, e o Porto com oportunidade de ter mais gente na frente, continuou na mesma. Numa fase do jogo onde o Estoril se limita a defender, e o Porto não tem meio campo, só há uma solução, é bombear bolas para a área. Mais uma vez a comparação é inevitável, Mourinho nunca faria uma coisa destas.

Para terminar, a grande penalidade convertida em falhanço por Derlei foi um acidente de percurso.

NOTAS DO EDITOR:
(as notas são escaladas de 0 a 10)

Vítor Baia – 6
Seitaridis – 8
Pedro Emanuel – 6
Pepe – 6
Areias – 6
Costinha – 7
Maniche – 7
Hugo Leal – 0
Carlos Alberto – 6
Hélder Postiga – 6
Luís Fabiano – 8
Quaresma – 7
Derlei – 5
McCarthy – 5

César Sequeira

14 setembro 2004

FC Porto 0 – CSKA 0

Não começou da melhor maneira a defesa do título por parte do Campeão Europeu, nem mesmo o símbolo de vencedor da competição na manga direita lhe valeu.

Desde início que esta equipa acusou a pressão, falhou inúmeros passes, o meio campo foi praticamente inexistente, excepção feita ao incansável Maniche, que parece ser o jogador em melhor forma nesta renovada equipa portista, e o ataque esteve muito despovoado.

Na primeira parte é de realçar a fantástica defesa de Vítor Baía (por momentos ainda pensei que fosse o Ricardo… mas não era!), o remate de Postiga ao poste, um cruzamento milimétrico de Quaresma com a parte exterior do pé direito, ao qual Hélder Postiga não chega por muito pouco, e um livre batido por Diego que passa rente ao poste esquerdo da baliza do CSKA.

Na segunda metade o Porto parecia entrar determinado a dar a volta ao resultado, mas foi a equipa russa que esteve perto do golo, numa falha de Pepe o avançado do CSKA remata ao poste e em seguida à barra. Postiga teria ainda uma oportunidade de ouro, mas mais uma vez o poste voltou a estar no seu caminho.

Já na fase do desespero os russos voltaram a tremer, mas a sorte não esteve do lado dos azuis e brancos.

A tão aguardada estreia do “Fabuloso” foi concretizada, e mostrou aos adeptos que ele está cá para brilhar. Assim esperamos.

NOTAS DO EDITOR:
(as notas são escaladas de 0 a 10)

Vítor Baía – 7
Seitaridis – 8
Areias – 7
Jorge Costa – 6
Pepe – 7
Costinha – 7
Maniche – 8 (melhor jogador em campo)
Diego - 7
Carlos Alberto – 5
Quaresma – 7
Hélder Postiga – 7

Luís Fabiano – 6
Hugo Leal - 5
McCarthy - 5

César Sequeira



"No Chelsea temos jogadores de topo mas, no FC Porto, tive tempo de preparar a equipa para a Liga dos Campeões"

No Verão passado, a saída de José Mourinho do FC Porto, campeão europeu, e o seu ingresso no Chelsea FC foi uma história tão atractiva que quase roubou páginas ao UEFA EURO 2004™.

Conhecimentos futebolísticos
E no curto espaço de tempo em que o português se estabeleceu em Stamford Bridge raramente saiu do centro das atenções. Tido por alguns como uma pessoa super-confiante, provou desde então que os seus conhecimentos futebolísticos justificam a sua auto-confiança.

Quatro vitórias
Depois de quatro jogos no campeonato inglês, o Chelsea moldou-se à imagem do técnico com as contratações de Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho, Tiago, Mateja Kezman, Didier Drogba e Nuno Morais, não tendo ainda perdido qualquer ponto e ocupando o comando da tabela, lado a lado com o campeão Arsenal FC.

Teste europeu
No entanto, é a UEFA Champions League que constitui o derradeiro teste para a carreira de um treinador, e o sorteio para a fase de grupos deixou o treinador a braços com uma tarefa complicada. Para além de jogos com o Paris Saint-Germain FC e PFC CSKA Moskva, Mourinho defrontará a sua antiga equipa, o FC Porto.

Duelo com o FC Porto
Talvez tenha sido uma cruel partida do destino mas, para Mourinho, não é um desastre. "Neste tipo de sorteio todas as equipas são boas", referiu ao uefa.com quando visitou a sede da UEFA ara a Fórum de Treinadores de Elite, na passada semana. "Em relação ao FC Porto, a vantagem é que os conheço bem. A desvantagem é que eles me conhecem bem a mim, assim ninguém vai beneficiar com isso".

Toque de reunião
A equipa do FC Porto que Mourinho guiou à vitória da Taça UEFA em 2002/03, antes da conquista na Liga dos Campeões na temporada seguinte, serviu para unir toda a nação futebolística em Portugal. O facto de apostar em jogadores portugueses foi o reflexo da contenção financeira, mas, sob a orientação de Mourinho, ficou provado que se tratou de um toque de génio acidental. "O que aconteceu com o FC Porto está fora do contexto do [que era esperado] do país", concluiu Mourinho.

Questão financeira
Tendo alcançado o sucesso a cargo de uma equipa com um orçamento pequeno como o FC Porto, Mourinho tem agora pela frente o que, à partida, será mais fácil: conseguir o mesmo título com o Chelsea FC e tendo como apoio a recheada conta bancária de Roman Abramovich. As expectativas são maiores, mas Mourinho realça que os métodos são os mesmos.

A mesma mentalidade
"Não faz grande diferença", afirmou. "As pessoas conhecem as condições económicas do Chelsea e o poder que o clube tem. Por isso, temos de construir uma equipa com grandes jogadores, mas vou para os jogos com a mesma mentalidade".

Trabalho de base
De certo modo, vê a tarefa de ter de triunfar com o Chelsea como sendo ainda maior do que o milagre que conseguiu com o FC Porto. "No Chelsea temos jogadores de topo mas, no FC Porto, tive tempo de preparar a equipa para a Liga dos Campeões", disse. "Na primeira temporada, o nosso objectivo foi ganhar a Taça UEFA mas, ao mesmo tempo, permitiu-nos adquirir uma experiência fantástica".

Nova equipa
Assim, o FC Porto é uma equipa que está moralizada depois de duas épocas de sucesso. O Chelsea não tem essa faceta. "Neste momento, o Chelsea é uma equipa completamente nova", afirmou Mourinho. "Os jogadores estão comigo há apenas algumas semanas e vamos entrar directamente em grandes jogos no campeonato e na Liga dos Campeões".

Ânimos refreados
Uma perspectiva que não é a melhor, mas o momento de forma do Chelsea no campeonato inglês deixa antever que o clube londrino está pronto para a tarefa. De qualquer modo e pela primeira vez, o técnico está a traçar objectivos relativamente modestos. "Duas equipas passam à fase seguinte", disse. "Temos de ser uma delas".

in UEFA.com, 10/09/2004

Título para defender



O Porto vai entrar hoje em campo para o primeiro embate na Champions League. Como se sabe vai jogar contra o CSKA Moscovo, uma equipa teoricamente mais fraca, mas que na realidade vai causar grandes dificuldades, não só ao Campeão Europeu mas também ao PSG, e ao todo poderoso Chelsea.
Vamos esperar que hoje às 19H45 o Porto entre em grande na Liga Milionária.

César Sequeira

09 setembro 2004

Olá César

Bem haja a todos que visitam este blog.
A selecção ganhou e ainda bem que tal aconteceu… mas continua a denotar aquela dificuldade em marcar golos… Talvez por ineficácia do ataque ou por azelhice dos avançados… O Pauleta é bom jogador, mas nada que se compare com o Postiga ou com o Nuno Gomes.
Já na Baliza temos um caso sério de teimosia do Scolari. Todos sabemos que o Baia é o Melhor, mas já que o Scolari não gosta dele devia por como titular o futuro(MOREIRA) que dentro de pouco tempo será um dos melhores da Europa.
Vimos também que o Rui Jorge já não tem vida para jogar á bola e que Simão Sabrosa é muito mas muito fraquinho…
Falando no que é bom: Ronaldo, Deco, Maniche, Os centrais e Miguel. Estes são o futuro… Viva Portugal

Bruno Angélico

PORTUGAL 4 - ESTÓNIA 0

Não vi o jogo, apenas o ouvi na Rádio Renascença, e de quando em vez. Mas mesmo assim deu para perceber que a selecção não estava a jogar bem. O Sr. Bernardino Barros (o comentador RR), estava a dizer ao intervalo se não me engano, que o Scolari tinha que mexer na equipa, não só tirar um jogador e por outro, mas também tinha que fazer alterações táticas. Pois é, mas a burrice lá continuou. A 15 min do fim o génio Ronaldo decidiu, como o tinha feito contra a Letónia, e desta vez nem foi preciso uma musa inspiradora.
O que é certo é que a selecção continua a jogar mal, e mesmo com este resultado, não podemos ficar satisfeitos. Porque afinal nós não queremos ser como a Grécia, marcar um golo no último minuto de cada jogo.
Quanto ao cabeça de queijo (Pauleta - para aqueles que não acompanham os anuncios televisivos), marcou um golito e já pensa que é herói nacional.
Como é que vai ser Sr. Scolari? Assim não vamos a lado nenhum!

César Sequeira